Joinha

Esses são vídeos coletados do Youtube. Então, por favor, clique, no título do vídeo, lado superior esquerdo, e o veja no próprio youtube. Assim você estará colaborando com o número de visualizações do vídeo e o próprio autor. Se você gostar, também dê um "joinha". Obrigadão!

28/05/2012

Short Film - Colors of the Rain

"Colors of the rain" deals with the desire of a 6yr old kid Madhav, who develops an unusual need for an umbrella. He gets lucky when his father comes to know about his cute fascination and buys him one. But fate had something else in store for Madhav. Even with his dream umbrella by his side, he is miserable and upset as there is no more rain for him to play. Madhav's conflict with his desires and his longing for the rain forms the crux of the later part of the story.

João Lucas

Veja o post completo no Blog do Jairo
O esporte radical que João Lucas começou a treinar recentemente --já tem até patrocínio de uma marca de cadeiras de rodas resistente a impactos-- chegou ao Brasil há cerca de quatro anos. O "hardcore sitting" veio dos EUA, onde foi criado por Aaron Fotheringham, 18, o único no mundo a dar um giro de 360º saltando de uma rampa em cadeira de rodas. Nove anos depois, o moleque se prepara agora para estrear como ator mirim na novela "Carrossel", do SBT, e é uma das primeiras crianças "cadeirantinhas" a treinar manobras radicais em cadeira de rodas. A informação é da reportagem de Jairo Marques, publicada na edição deste domingo da Folha. A íntegra está disponível para assinantes do jornal e do UOL, empresa controlada pelo Grupo Folha, que edita a Folha. "Não consigo nem andar de bicicleta e o João tem essa energia toda. É da natureza dele. Acho que as conquistas que ele tem tido vão ser refletidas para todas as crianças com deficiência, que poderão ser vistas de forma menos estigmatizada", declarou a mãe, Adriana Dutra.

14/05/2012

ناله ی ده رون ،،،،،ده ف

Por favor, veja o vídeo no Youtube e clique em "gostei"

KURDISH CINEMA

Por favor, veja o vídeo no Youtube e clique em "gostei"

Shulcheva Sasha, На своих двоих

Por favor, veja o vídeo no Youtube e clique em "gostei"
Os autores do filme - Natalie Shahinian-Needham e Basil Arcana. Film "em pé" - uma história de um único menino Shulcheva Sasha, que nasceu sem pernas e até 15 anos vivia em um orfanato na pequena cidade de Nizhny Lomov Sua história seria semelhante a centenas outros, crianças abandonadas, mas sua vida saiu de forma diferente - apesar de tudo. Hoje Sasha caminhadas, danças, esquiador, vive uma vida plena e quer fazer tudo o possível para ajudar o mesmo que é para se levantar. O filme não só conta a história de um homem, e mostra o caminho, abre-se uma receita de mudar o destino de muitas outras crianças. " estréia exibição do documentário "Em meus próprios pés" teve lugar no centro cinema "PIK" em 2011, que foi marcada por um ano, em St. Caridade Petersburg fundo para apoiar 'artista' artistas, actores consagrados, Yevgeny Mironov, Maria Mironova e produtores Natalie Shahinian-Needham. "Fragmentos do filme foram mostrados no" fator de vida "em 05 de fevereiro de 2012 Para obter informações sobre as actividades da Fundação" Artista ", você pode encontrado na Fundação http://www.fond-artist.ru "Uma das direções da Fundação - ajudando órfãos e crianças deficientes. Em 2009, organizou a campanha "Eu quero ir." Obrigado, ela conseguiu levantar fundos para a viagem à América, várias crianças órfãs que nasceram sem as pernas. Nos Estados que tiveram a cirurgia e próteses. Queríamos falar sobre um deles. Então, houve um filme sobre Sasha Shulcheva ", - disse Natalie Shahinian-Needham.

13/05/2012

12/05/2012

Ethan Walmark

Ethan Walmark é um garotinho autista de 6 anos de idade que toca piano e canta músicas pop, muitas vezes sem partitura. É incrível, mas ele ouve a música uma vez, guarda na memória e simplesmente começa a tocar. Além de chamar a atenção por não precisar da partitura da música, ele encanta pela desenvoltura e graciosidade com que executa a música. Assista um de seus vídeos tocando e cantando “Piano Man”, de Billy Joel, um clássico do cantor. (http://www.youtube.com/watch?v=CpF3326_b5g) “Eu acho que essa introdução de ‘Piano Man’ é melhor que a minha. Esse cara trabalhou com muito mais energia do que eu. Talvez ele possa me ensinar algumas coisas”, disse Billy Joel em um comunicado. No domingo passado, os pais de Ethan emitiram um comunicado referindo-se ao comentário de Joel. “Estamos honrados (…) que o Sr. Joel viu o vídeo de Ethan e tenha deixado um comentário tão bonito sobre a habilidade dele no piano. Se o amor e a alegria de Ethan com a música pode mudar opinião de uma pessoa sobre o autismo, estamos felizes”, disseram os pais num comunicado reproduzido pelo jornal The Washington Post.

11/05/2012

As tartarugas também Voam

Em cineasta iraniano Bahman Ghobadi do premiado filme "Tartarugas Podem Voar" ("Lakposhtha parvaz mikonand", Irã / Iraque, 2004) os motivos para a ação suicida estão claramente a ser encontrado na experiência traumática da guerra. AGRIN 15-year-old (Avaz Latif) vive numa aldeia no Curdistão iraquiano. Seus pais são mortos em um ataque do exército iraquiano. Ela é então estuprada pelos invasores e, posteriormente, fica grávida e dá à luz um filho, Riga (Abdol Rahman Karim), que acaba por ser cego. Seu irmão Hangao (Hiresh Feysal Rahman) perde os dois braços após pisar em uma mina. No campo de refugiados, onde eles vivem agora, há também Soran (Soran Ebrahim), também chamado por satélite por causa de sua capacidade de fonte de antenas parabólicas que trará notícias sobre o avanço americano, que finalmente se apaixona por AGRIN. Mas no coração Agrins não há mais lugar para o amor, tudo que ela quer é deixar a música que acompanha é "Beni Beni" (do álbum "Nove Céus"), realizada pelo iraniano-americana grupo Niyaz e com a voz de Azam Ali .

10/05/2012

Mãe de dois pré-adolescentes com deficiência arruma tempo para trabalhar e praticar triatlo

CLIQUE AQUI PARA VER O POST NO BLOG DEFICIENTE CIENTE João Victor e Samuel, de 10 e 12 anos, têm síndrome de Lennox-Gastaut. Cibelle começou a se exercitar para melhorar o condicionamento físico. Ela acorda às 5h30, dá banho nos filhos e serve o café da manhã deles antes de sair para pedalar. Volta e, às 8h, ela vai trabalhar. A hora do almoço é reservada para brincar com as crianças. Chega em casa às 18h para brincar mais um pouco e arrumar os filhos para colocá-los na cama. Às 19h eles dormem, então chega a hora de ir à academia. Essa é a rotina da paraibana Cibelle Gomes, de 34 anos, mãe de dois garotos que sofrem da síndrome de Lennox-Gastaut (SLG). As crianças são João Victor, de 12 anos, e Samuel, de 10. A síndrome, que é uma forma de epilepsia de difícil controle, faz com que eles tenham problemas cognitivos e motores, além de crises convulsivas constantes e severas. “João Victor era um bebê que não se desenvolvia. Não segurava o pescocinho”, disse Cibelle, que explicou que ele começou a fazer fisioterapia com três meses. As convulsões começaram com um ano de vida.

Ana Amália defendeu tese sobre trabalho com crianças com paralisia. Ela ficou sem movimentos após ter um AVC há 10 anos.

Uma mulher que praticamente só mexe os olhos e a boca tornou-se nesta quarta-feira (9) doutora pela Universidade de São Paulo (USP). Ela produziu sua tese de doutorado em arte e educação utilizando apenas os olhos e pequenos movimentos do queixo – únicas formas pelas quais ela consegue se expressar. Ana Amália perdeu os movimentos há dez anos. Ela se preparava para defender seu mestrado quando teve um acidente vascular cerebral (AVC) e perdeu quase todos os movimentos do corpo, ficou muda e impossibilitada de mastigar e engolir. Desde então, se comunica por meio de um programa de computador. Para uma banca examinadora emocionada, Ana apresentou seu trabalho de três anos com crianças com paralisia cerebral. Ela levou um ano para escrever as 185 páginas da tese. “Para mim, significa ela ter deixado de ser vítima para conduzir a própria vida. Isso é importantíssimo para os deficientes, não se conformarem em ser vítimas, não ter pena, mas potencializarem o que restou”, disse Ana Barbosa, mãe de Ana Amália. A própria doutoranda brincou com a dificuldade em responder às perguntas da banca, e após três horas, teve sua tese aprovada.

03/05/2012

Dia das mães

joao gualberto e seus amigos sapos

Papagaio volta para casa após informar nome e endereço

Um papagaio de estimação que estava perdido foi levado de volta para casa pela polícia depois de informar seu nome e endereço, em Nagareyama (Japão), informou a agência Kyodo. As autoridades da província de Chiba capturaram o animal e o levaram a uma clínica veterinária, mas ele não parava de repetir "Nakamura Yosuke-kun", o nome dado por seu dono, Yoshio Nakamura, e a localização de sua casa, incluindo o número da residência. Os responsáveis pela clínica informaram à polícia e pouco depois as autoridades localizaram Nakamura e lhe devolveram o papagaio-cinza, uma espécie de origem africana. O dono disse que não estava preocupado porque, além de quase não voar, o animal tinha aprendido, entre outras coisas, seu nome e endereço.

Los grafiteros toman el altar mayor

Barcelona, 30 abr (SIR) - Em todo o mundo os padres deparam com o problema de grafites nas paredes das suas igrejas, mas o caso de Santa Eulália de Provençana, na Catalunha, tem duas grandes diferenças. Primeiro, porque ali os “sprays” não foram usados no exterior do edifício, mas sim no interior, e ainda por cima na abóboda. Segundo, porque os jovens responsáveis pelas imagens estavam lá a convite do pároco. O padre Ramon Mor estava à procura de uma forma prática e, nestes tempos, barata, de dar outra cor à abóboda, que lhe parecia “solene” mas austera. Numa busca on-line deu pelo trabalho do grafiteiro Rudi e, convencido, contatou-o para vir trabalhar na sua igreja, construída em 1957. Segundo a imprensa espanhola o artista de rua ficou admirado pelo convite, aceitou-o e, para alegria da comunidade, recusou qualquer pagamento. Rudi até convocou um colega madrileno, conhecido por House, para ajudá-lo. O resultado encantou tanto o sacerdote como a comunidade do bairro operário que a Igreja serve. Rudi e House tiveram todos os cuidados e estudaram cuidadosamente o estilo românico catalão: “Tivemos de analisar as expressões, os olhares. Basta uma linha para passar de um estilo para outro”, confessa o artista. Rudi recusa, todavia, considerar que se trata de um grafite: “O grafite é um estilo e isto é um mural feito com aerossóis que fizemos, mas não tem nada de grafite.” Seja o que for, os colegas do padre Ramon Mor também ficaram convencidos e Rudi tem recebido vários contactos para outros trabalhos do gênero.